Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cabo das Tormentas 1488

Ensaios sobre a Declinação Magnética e os Descobrimentos Portugueses

4.1 - A culminação do Sol e da Polar

22.06.17

Identificado o momento em que se verificava a culminação do Sol ou da Polar, na sua direcção (azimute) ou na direcção oposta encontrava-se o Norte (ou o Sul) Geográfico.

Mas com o nascimento da navegação astronómica a identificação do momento da culminação tinha outro objectivo mais prioritário: através da altura observada exactamente no momento da culminação da Polar ou do Sol, utilizando o quadrante, o astrolábio ou a balestilha, e após cálculos relativamente simples, era possível determinar a latitude do lugar.

 

O cálculo da latitude do lugar originou a necessidade de determinar o momento em que se verificava a culminação do Sol e da Polar.

 

O processo de determinação da culminação do Sol ou da Polar nada tem a ver com a utilização das agulhas de marear. O conhecimento ou desconhecimento da declinação magnética não afectava o processo de determinação das culminações do Sol e da Polar. Medir ou observar o ângulo existente entre a ponta norte da agulha (norte magnético) e o azimute observado (norte geográfico) durante a culminação do Sol ou da Polar, surge como consequência indirecta do primeiro objectivo, o cálculo da latitude, e não como uma necessidade directa. Numa fase inicial das navegações marítimas não interessava conhecer a diferença entre o norte geográfico e o norte magnético, na realidade o fenómeno não era compreendido. O conhecimento do momento certo da culminação do Sol ou da Polar é que era crítico e é precisamente na tentativa de identificação desse momento que os navegadores se apercebiam das diferenças, mais ou menos significativas, que se verificavam entre o norte magnético e o norte verdadeiro.

Voltamos a recordar que já era conhecido o facto de as agulhas nem sempre estarem fixas nos pólos (nos locais onde a declinação magnética não era nula), desconhecendo-se na época que o ângulo entre a agulha e o norte geográfico variava conforme os locais e com o tempo.

Mas como era possível identificar esse momento, o da passagem meridiana?

 

A passagem meridiana do Sol coincide com a sua altura máxima sobre o horizonte, quanto à  Polar (estrela só visível no hemisfério norte) já o mesmo não pode ser dito visto a Polar passar pelo meridiano do lugar duas vezes por dia, com alturas sobre o horizonte diferentes.

 

1 comentário

Comentar texto